NOTA OFICIAL:

Olá, queridos amigos da Santos Comic Expo.

Anos atrás, nós, Os Guerreiros, um grupo de leitores de quadrinhos e frequentadores de diversos eventos e comic shops da época, decidimos realizar a SANTOS COMIC EXPO, na época chamada de Santos Comic Con. Começamos de forma modesta e nos surpreendemos com a resposta do público. Nos anos seguintes, realizamos várias edições, uma mais inesquecível que a outra, sempre nos orgulhando de proporcionar um evento único em sua modéstia e coração, que atraiu famílias inteiras para conhecer o trabalho de artistas que se tornaram, muitos deles, amigos queridos.

Quem nos conhece de forma mais próxima ao longo desses anos, sabe que realizamos o evento sem contrapartidas financeiras e muitas vezes sacrificamos muito de nosso tempo e recursos para fazê-lo acontecer, gratuito como ele é até hoje. Mesmo assim, aprendemos demais: lidar com público, com os artistas, os lojistas, e com o poder público nos garantiu uma expertise inesperada análoga aos eventos chamados de grande porte, até mesmo porque ajudamos a criar a cena cultural quadrinhística, junto a outros eventos parceiros, que, entre outras coisas, abriu caminho para a Prefeitura de Santos realizar com enorme êxito seu Festival Geek, do qual fazemos parte da curadoria e auxiliamos em tudo que podemos, capitaneado pelo Secretário de Cultura Rafael Leal.

Para um grupo de amigos, no entanto, que partilham há mais de vinte anos as mazelas das famílias de cada um e se tornou uma família a seu modo, a presença de pais, mães e filhos de forma gratuita, como dito acima, se tornou, no fim das contas, com seus recursos voltados ao invés de adquirir um ingresso a prestigiar o trabalho de artistas e lojistas e se emocionar com as atrações, o motivo de nossa sensação de missão cumprida. Leitor a leitor, a arte sequencial só tem a ganhar e nós também.

Para este ano, nossa intenção foi ampliar as possibilidades de atrações e como sempre melhorar a experiência aconchegante e agradável que aqueles que estão conosco faz um tempo já conhecem, uma vez que o recorde de público e crítica da edição de 2019 sinalizou que poderíamos fazer algo melhor ainda. Para tanto, conseguimos verba, por meio de recursos públicos, junto aos vereadores Fabrício Cardoso (que também nos ajudou ano passado) e Telma de Souza. Seria a oportunidade de realizar sonhos, nossos e de nosso público, com atrações e melhorias que com certeza seriam inesquecíveis.

Porém, na semana passada, nos reunimos, distantes, devido à quarentena a que estamos todos sujeitos e que consideramos e entendemos como necessária (#ficaemcasa), e deliberamos sobre o cenário atual. Pensamos em como muitos eventos serão espremidos se, em um cenário pra lá de bem-vindo, ainda nos restar um período de normalidade no segundo semestre de 2020. Artistas e lojistas, já sem muitos recursos pela contingência, poderão ter problemas para ir e vir para tantos lugares e de qualquer forma terão que fazer escolhas e sacrifícios. Além disso, aglomerações são características para até o menor dos eventos, e levamos em consideração as famílias que nos gratificam com sua presença. Será preciso uma mudança cultural significativa para fazermos funcionar, com segurança e bom senso, as festividades de nossa tão amada Nona Arte. Aliás, no mínimo, esperamos que possamos, enquanto povo, evoluir e amadurecer nos aspectos culturais que nos permitirão conviver sem nos expormos ao perigo.

Assim, entramos em contato com os gabinetes dos já citados vereadores para devolvermos esses recursos orçamentários a nós dirigidos, sugerindo a possibilidade de serem empregados no combate ao COVID-19 em nossa amada Santos, e ficamos felizes de que isso poderá ser feito. Se conseguimos recursos para este ano, não será impossível pensar que conseguiremos o ano que vem. Neste trâmite, desde a requisição das emendas parlamentares que nos agraciaram com a verba, até a possibilidade de realocação deste montante para auxiliar na saúde do município, deixamos aqui nosso agradecimento à toda equipe da Secretaria de Cultura, (sempre muito solícitos) e ao nosso secretário “camisa 10”, Rafael Leal, sempre diligente, empolgado e atencioso com nossos projetos e parcerias, e (mais uma vez) aos Vereadores Fabrício Cardoso Oliveira e Telma de Souza pela oportunidade de nos ajudar e de ajudarmos quem mais precisa neste momento difícil.

Assim, por unanimidade, decidimos não realizar a edição de 2020 da SCE. Estamos tristes por um lado, mas serenos no entendimento de que ao contemplarmos a situação a longo prazo, o risco, sobretudo ao público e aos participantes, seria grande. Diante de uma possível tragédia, é preciso repensar muitas coisas e entender que um passo atrás nos permite construir uma ponte, ao invés de cair no desfiladeiro.

Os Guerreiros já estão pensando em maneiras de oferecer suporte aos artistas e lojistas de outras formas no próximo semestre, e levar ao público o contato com suas produções e produtos. Não ficaremos parados, apenas adaptaremos nossa estratégia de luta, pois somos gratos a todos vocês que tem construído a SCE conosco. E, com muita fé, e garra, e amor aos quadrinhos, estaremos todos juntos em 2021 caminhando em um mundo mais amadurecido e consciente da necessidade da Arte.

Um grande abraço,
Os Guerreiros.

DESENVOLVIDO POR